NOVA YORK ¿ O filme Cidade de Deus, de Fernando Meirelles, é o quarto melhor filme latino-americano da década, segundo uma enquete realizada pela organização Cinema Tropical entre críticos, acadêmicos e profissionais do cinema em Nova York, seguido pelo documentário Ônibus 174, de José Padilha e Felipe Lacerda.

A associação Cinema Tropical, dedicada à promoção do cinema latino-americano nos Estados Unidos, divulgou hoje os resultados de sua enquete.

"A ideia de criar esta lista tem uma dupla missão: por uma parte servir de promoção para honrar o grande trabalho cinematográfico da região nos últimos anos, e por outra, homenagear profissionais que ajudaram a difusão do cinema latino-americano", afirmou o diretor da Cinema Tropical, Carlos Gutiérrez, em comunicado.

Para realizar a enquete, a organização consultou 33 profissionais de Nova York que contribuíram para a promoção e difusão do cinema latino-americano no país e eles selecionaram um total de 121 filmes de 14 países da região.

A Argentina é o país com a maior quantidade de filmes na lista, com um total de 37 menções, seguida pelo Brasil, com 30. Na primeira posição, está "O Pântano", da diretora argentina Lucrecia Martel, seguido pelos mexicanos "Amores Brutos" e "Luz Silenciosa". Os outros dois longas-metragens de Martel, "A Mulher Sem Cabeça" e "A Menina Santa", também estão no Top 10.

"Apesar do fato de que muitos dos filmes mencionados nunca conseguiram estrear nos Estados Unidos e de que o cinema latino-americano ainda tenha muito a conquistar neste país, a lista demonstra que há uma grande riqueza de filmes produzidos região ano após ano", assegurou a organização.

Como exemplo, cita o caso do diretor Eduardo Coutinho, que, apesar de "continuar sendo desconhecido para a maioria do público nos Estados Unidos", tem quatro filmes na lista geral: "Jogo de Cena", "Edifício Master", "Peões" e " O Fim e Princípio".

"Esta década que está terminando marcou o cinema latino-americano. Nunca antes os filmes da América Latina tiveram tanta popularidade de crítica e de bilheteria em nível internacional", assegurou Díaz.

Em sua opinião, "esta lista não é só uma clara lembrança da grande qualidade e abundância do cinema que emergiu da América Latina nos últimos dez anos, mas também é uma celebração da maturidade do cinema da região".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.