BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), rebateu nesta terça-feira denúncias de supostas irregularidades contra a administração da Casa. O senador afirmou que, apesar de o Senado ter passado por diversas crises nos últimos anos, seu nome nunca foi citado em atos ilegais.

"A crise do Senado não é minha. A crise é do Senado e é essa instituição que nós devemos preservar. Tanto quanto qualquer um aqui, ninguém tem mais interesse nisso do que eu, até porque aceitei ser presidente da Casa", afirmou em discurso no plenário.

"Isso é uma crise mundial. O que se fala aqui no Brasil do Congresso fala-se na Espanha, fala-se na Inglaterra, fala-se na Argentina, fala-se em todos os lugares", acrescentou.

Desde o início da gestão Sarney, em fevereiro, vieram à tona denúncias como pagamento de horas extras no recesso e nomeações de funcionários por atos secretos, entre eles parentes do senador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.