Quilombolas ocupam parte do prédio do Incra na Bahia

Cerca de 100 integrantes de dez áreas quilombolas de municípios no Recôncavo Baiano ocupam, desde a manhã de hoje, a área externa e a entrada do prédio do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Salvador. Segundo as lideranças do movimento, eles aproveitam o início da Semana Nacional da Consciência Negra - na quinta-feira é lembrada a morte de Zumbi dos Palmares - para cobrar do governo a oficialização de posse das terras quilombolas por seus ocupantes.

Agência Estado |

Além disso, eles reivindicam o acesso da população das áreas a serviços como esgotamento sanitário e energia elétrica. Segundo eles, das dez áreas representadas na manifestação, metade ainda não é contemplada pelos serviços. De acordo com o Incra, a ocupação é pacífica. Os funcionários foram impedidos de estacionar os carros na garagem do prédio, que foi ocupada pelos manifestantes. Apesar disso, os trabalhadores puderam entrar na sede do Incra, o que fez com que as atividades no instituto fossem realizadas normalmente.

No fim da tarde de hoje, foi iniciada uma reunião entre representantes dos quilombos e do Incra, além de membros da Secretaria de Promoção da Igualdade (Sepromi), da Fundação Palmares e da Gerência Regional do Patrimônio da União (GRPU). Até o início da noite, a situação permanecia indefinida e os quilombolas se mostravam dispostos a ficar no local até que o governo apresentasse uma proposta de solução.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG