Quércia pode abrir mão de apoio a tucano por Requião

O presidente do PMDB em São Paulo, o ex-governador Orestes Quércia, assegurou hoje que o diretório estadual da legenda pode abrir mão do apoio ao candidato do PSDB à Presidência da República caso o governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), entre na disputa. Em carta enviada esta tarde ao governador paranaense, Quércia manifestou apoio à pré-candidatura de Requião à sucessão no Palácio do Planalto em 2010, anunciada no início da tarde de hoje, e garantiu ao correligionário que o PMDB-SP estará ao seu lado caso ele viabilize o lançamento de seu nome à corrida eleitoral.

Agência Estado |

"Sempre foi claro que, se houver uma candidatura para somar o PMDB, como é a sua, nosso apoio será inarredável", ressaltou o presidente estadual.

O ex-governador lembrou ainda que, diferente do PMDB nacional, o diretório estadual da legenda refuta uma aliança com o PT encabeçada pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT). Embora acredite que os prováveis candidatos tucanos à Presidência da República, José Serra e Aécio Neves, são "os que mais consultam aos interesses da nação", Quércia reiterou que ficará ao lado de Requião. "Com a consagração de seu nome (Requião), procurarei o Serra e o Aécio para dizer que, como sempre, ficarei com o PMDB", considerou.

Às turras com o PMDB nacional desde o pré-acordo com o PT em torno da eventual candidatura de Dilma, Quércia defende abertamente uma aliança com o PSDB em São Paulo, posição que deve ser respeitada pela cúpula peemedebista. Como moeda de troca pelo apoio estadual, os tucanos já garantiram ao ex-governador uma das vagas ao Senado na coligação eleitoral encabeçada pelo PSDB em São Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG