Queda do diesel pode vir pela redução da Cide, diz Lobão

BRASÍLIA (Reuters) - Uma eventual queda no preço do óleo diesel para o consumidor poderá ocorrer por meio da redução da cobrança da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) sobre o combustível, o que preservaria as margens de lucro da Petrobras, afirmou nesta quinta-feira o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. Segundo ele, no entanto, uma redução no valor do diesel só ocorreria em três ou quatro meses, já que o governo quer poupar a Petrobras de qualquer impacto maior em seu fluxo de caixa.

Reuters |

O ministro afirmou que a possibilidade de o preço do diesel ser reduzido por meio de mudança na Cide está sendo analisada pelo Ministério da Fazenda.

"É exatamente isso que está sendo discutido. Se sai da Cide ou da margem de lucro da Petrobras. Preferimos que a Petrobras seja preservada", disse ele, após sair de encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"O desejo do governo é que o mais depressa possível possa a Petrobras fazer essa rearrumação dos preços. Mas nós não podemos nos precipitar ao ponto de prejudicar fortemente a Petrobras", acrescentou Lobão.

A Cide já foi reduzida pelo governo em maio do ano passado, como maneira de reduzir o impacto para o consumidor do aumento dos combustíveis nas refinarias feito pela Petrobras, em um período em que os preços internacionais do petróleo estavam próximos dos níveis recordes.

Na época, a Cide sobre a gasolina caiu de 28 centavos de real por litro para 18 centavos por litro. No diesel, a redução foi de 7 centavos para 3 centavos por litro.

A Cide é uma tarifa criada originalmente para levantar recursos para a recuperação de estradas.

(Reportagem de Natuza Nery)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG