Ao contrário da tendência mudial divulgada esta semana pelo Programa das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), no Brasil o número de novos casos não está diminuindo. Segundo o Ministério da Saúde, está estável desde 2000, com cerca 18 casos para cada 100 mil habitantes. As mortes também estabilizaram no patamar de 6 mortos para cada grupo de 100 mil habitantes.

Aids migra para as cidades pequenas

Cidades do Sul são as campeãs de incidência

Em números absolutos, há uma média de 11 mil óbitos pela doença a cada ano e 33 mil novos casos. De acordo com o departamento de DST e Aids do Ministério da Saúde, o mundo está colhendo os frutos do avanço no tratamento. O Brasil trata a população contaminada e doente desde o início da epidemia e passamos por esses índices positivos há uma década, avalia Mariângela Simão, diretora do departamento.

Segundo ela, 10 milhões de pessoas no mundo precisam de tratamento contra a aids e apenas 4 milhões tem acesso a ele. No Brasil, 200 mil precisam de tratamento e todos recebem, garante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.