Queda da Aids no mundo não se reflete no Brasil

Ao contrário da tendência mudial divulgada esta semana pelo Programa das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), no Brasil o número de novos casos não está diminuindo. Segundo o Ministério da Saúde, está estável desde 2000, com cerca 18 casos para cada 100 mil habitantes. As mortes também estabilizaram no patamar de 6 mortos para cada grupo de 100 mil habitantes.

Erika Klingl, iG Brasília |

Aids migra para as cidades pequenas

Cidades do Sul são as campeãs de incidência

Em números absolutos, há uma média de 11 mil óbitos pela doença a cada ano e 33 mil novos casos. De acordo com o departamento de DST e Aids do Ministério da Saúde, o mundo está colhendo os frutos do avanço no tratamento. O Brasil trata a população contaminada e doente desde o início da epidemia e passamos por esses índices positivos há uma década, avalia Mariângela Simão, diretora do departamento.

Segundo ela, 10 milhões de pessoas no mundo precisam de tratamento contra a aids e apenas 4 milhões tem acesso a ele. No Brasil, 200 mil precisam de tratamento e todos recebem, garante.

    Leia tudo sobre: aidshiv

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG