Quatro pessoas supostamente envolvidas com milícias são presas no Rio

RIO DE JANEIRO ¿ Quatro pessoas foram presas na operação que a Polícia Civil desencadeou nesta quarta-feira contra pessoas ligadas à milícia que atua na Favela do Barbante e nos bairros de Inhoaíba e Cosmos, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Redação |

Entre os presos estão dois suspeitos conhecidos como Furacão e Rodnei. Eles são acusados de terem participado do assassinato de uma testemunha na Favela do Barbante, no último dia 30 de junho, e do desaparecimento da família de outra testemunha. De acordo com a polícia, as duas testemunhas haviam abandonado o programa de proteção destinado a elas.

Durante a operação, os agentes também prenderam a sogra de Furacão, que escondia armas do grupo, e o cunhado do ex-policial militar Toni Ângelo, que ficava responsável pela manutenção das máquinas caça-níqueis na região. Segundo a polícia, Toni Ângelo é tido como o sucessor do também ex-PM Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman.

Para o diretor do Departamento de Polícia da Capital (DPC), delegado Ronaldo Oliveira, um dos objetivos principais da operação foi alcançado, que era identificar o traficante e miliciano Reinaldo Ramos Lobo, conhecido com Sprinter.

No total, foram expedidos para a operação desta quarta-feira 11 mandados de prisão. Com um dos quatro presos foram apreendidos um revólver, uma granada, uma pistola e munição. Na ação também foram recuperados três veículos roubados, uma moto e diversos documentos.

Participaram da operação cerca de 80 policiais da Delegacia de Homicídios (DH/Oeste), de Roubos e Furtos (DRF), de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) e da Polinter, além de 15 delegacias distritais.

Veja também:

Leia mais sobre: milícia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG