SÃO PAULO (Reuters) - Quase metade dos desempregados no Brasil tem entre 15 e 24 anos, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O Brasil tem a taxa mais alta entre os dez países analisados. De acordo com a pesquisa Juventude e políticas sociais no Brasil, 46,6 por cento das pessoas sem emprego no país tem até 24 anos. O dado refere-se ao ano de 2005.

O segundo país com a taxa mais alta de desemprego entre jovens é o México (40,4 por cento), seguido por Argentina (39,6), Reino Unido (38,6), Suécia (33,3), Estados Unidos (33,2), Itália (25,9), Espanha (25,6), França (22,1) e Alemanha (16,3).

O desemprego entre os jovens brasileiros de 15 a 24 anos é 3,5 vezes maior que entre os adultos com mais de 24 anos. Em 1995, o índice era 2,9 vezes maior e em 1990, 2,8.

'Os técnicos do Ipea constataram que o desemprego é maior entre os jovens porque são demitidos por um custo mais baixo para as empresas e também porque elas os consideram menos 'essenciais' devido à menor experiência', informou o instituto em comunicado.

A pesquisa mostrou ainda que 4,7 por cento dos que têm 25 a 29 anos são analfabetos. No Nordeste, a proporção pula para 11,6 por cento.

Segundo o Ipea, os jovens de hoje usam mais camisinha que os dos anos 1980. Em 1986, apenas 9 por cento declaravam usar camisinha na primeira relação; em 1998 eram 49%; e o número mais recente, de 2004, aponta para 53 por cento.

(Texto de Tatiana Ramil)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.