Quase 2 mil fazem segurança do sambódromo de SP

Mais de 1,8 mil homens trabalham na noite de hoje na segurança do Sambódromo de São Paulo, onde acontece o primeiro dia de desfile das escolas de samba do Grupo Especial. São 650 policiais militares, 71 policiais civis, 80 guardas civis metropolitanos e 1.

Agência Estado |

060 seguranças privados. Além disso, o Corpo de Bombeiros destacou efetivo de 70 homens para esta noite. A estimativa de público hoje é de 30 mil pessoas.

Há 26 câmeras de monitoramento nos portões e nas arquibancadas. Foliões e integrantes das escolas de samba passam por revista na entrada do sambódromo. É proibido entrar com copos ou garrafas de vidro, latas de bebida, bandeiras com mastro, caixas térmicas, guarda-chuvas com ponta, fogos de artifício ou armas de qualquer tipo. Alimentos estão liberados, exceto frutas inteiras.

Os postos de atendimento das polícias Militar e Civil e da Guarda Civil Metropolitana (GCM) ficam no Centro de Coordenação Integrada, próximos aos portes 12, 13 e 14, da Marginal do Tietê. No local, o folião encontra ainda postos da Delegacia de Atendimento ao Turista (Deatur), das subprefeituras, da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e do Juizado da Vara da Criança e do Adolescente. É vetada a entrada de crianças com menos de 5 anos. Dos 5 aos 16 anos, elas devem ser acompanhadas por um responsável maior de idade.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG