Quadro de saúde de Nadinho de Rio das Pedras é estável

RIO DE JANEIRO ¿ O vereador Josinaldo Francisco da Cruz, o Nadinho de Rio das Pedras (DEM), não corre risco de morte, segundo informou nesta terça-feira o Hospital Cardoso Fontes, onde ele está internado. O parlamentar foi baleado ontem à noite próximo à sua casa na favela Rio das Pedras, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio. Nadinho levou dois tiros, um no tórax e outro na perna, e foi submetido a uma cirurgia durante a madrugada. O vereador está em uma unidade intermediária do hospital e seu quadro é estável.

Redação |

Acordo Ortográfico

De acordo com a 32ª DP (Taquara), responsável pelo caso, as primeiras investigações levam a crer que houve uma tentativa de homicídio contra o parlamentar. Moradores de Rio das Pedras relataram que Nadinho chegava à sua casa, por volta das 22h15, quando dois homens em uma moto efetuaram disparos. Ao ser atingido por um tiro, Nadinho ainda correu e foi novamente baleado próximo à associação de moradores da favela. O vereador foi socorrido por amigos e parentes e os autores dos disparos conseguiram fugir.

Divulgação

O vereador Nadinho de Rio das Pedras

Nadinho é um dos líderes políticos de Rio das Pedras e suspeito de liderar uma milícia que atua na comunidade. No dia 14 de novembro, os deputados estaduais Marcelo Freixo (Psol) e Gilberto Palmares (PT) apresentaram o relatório final da CPI das Milícias e pediram o indiciamento de 226 pessoas suspeitas de terem ligação com grupos paramilitares. Entre os nomes citados está o vereador do DEM.

O parlamentar também é suspeito de ter sido o mandante do assassinato do inspetor Félix dos Santos Tostes, em fevereiro de 2007. Nadinho chegou a ser preso pelo crime em novembro do ano passado, mas negou tudo, e, atualmente, responde ao processo em liberdade. Segundo denúncias, o inspetor assassinado disputava a liderança da milícia de Rio das Pedras com Nadinho e, além disso, respondia a um inquérito sobre a máfia dos caça-níqueis.

No último dia 24 de novembro, a viúva de Tostes, Maria do Socorro Barbosa Tostes, sofreu um atentado em Jacarepaguá. Ela teve o carro interceptado por homens armados e levou três tiros. Maria do Socorro permanece internada em um hospital na zona norte do Rio, mas não corre risco de morte.

Ela é a principal testemunha de acusação no inquérito da morte do marido. A viúva disse à Justiça que, um dia antes da morte do inspetor, Tostes teria dito a ela que Nadinho estava lhe preparando uma emboscada. A polícia ainda investiga se o atentado contra Maria do Socorro foi algum tipo de acerto de contas entre milicianos.

Leia mais sobre: milícias


    Leia tudo sobre: milíciamilíciasriorio das pedrasrio de janeiroviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG