Quadrilha faz arrastão em cafeteria da zona sul de SP

Criminosos armados fizeram um arrastão ontem à noite dentro de uma cafeteria em Indianópolis, na zona sul de São Paulo. Doze clientes tiveram seus pertences roubados pelos suspeitos.

Agência Estado |

A ação durou menos de dez minutos. Uma das vítimas conseguiu anotar a placa do carro usado na fuga do grupo e avisou a Polícia Militar (PM). Até o fim desta madrugada, nenhum suspeito havia sido localizado.

Os quatro suspeitos chegaram ao local por volta das 22 horas. Dois deles estavam armados. Um permaneceu na porta de entrada e outro, dentro da cafeteria. Enquanto isso, os outros dois comparsas recolhiam os objetos das vítimas. Foram roubados seis notebooks, diversas bolsas, carteiras, celulares e relógios, entre outros objetos.

Um dos clientes, o publicitário Renato Dimitrov Muniz Pimenta, de 25 anos, afirmou que ninguém foi agredido. "Não houve violência", disse ele, que teve um notebook, uma mochila e a carteira roubados. A bacharel em Turismo Adriana Silva, de 32 anos, noiva do publicitário, estava no banheiro quando o estabelecimento foi invadido. Assim que saiu, foi rendida e teve a sua bolsa tomada pelos criminosos. Segundo ela, eles apontavam as armas para a cabeça das vítimas e estavam nervosos. "Estavam todos visivelmente apreensivos."

Quando os suspeitos fugiram, uma das clientes resolveu segui-los a pé. Ela afirmou que viu o grupo entrar em um carro que estava estacionado próximo à cafeteria com os faróis apagados e, então, anotou a placa do veículo, contou a comerciante de 41 anos, que pediu par ser identificada apenas como Carolina. A vítima avisou a PM, que constatou que o carro não era roubado. Os policiais chegaram à residência da dona do veículo, na Vila São José, na zona sul da capital paulista, mas, no local, não foram encontrados os criminosos e nem o carro.

A dona do veículo seria namorada de um dos suspeitos e teria afirmado aos policiais que o companheiro costuma pegar o carro sem avisá-la, por isso ela tem o hábito de esconder as chaves do automóvel. Ela também teria dito que ele é usuário de drogas.

A descrição do namorado dada pela dona do carro aos PMs bate com as características de um dos suspeitos descrito pelas vítimas. Ele teria uma tia que mora na região central da cidade, nas imediações do bairro da Liberdade. Policiais militares e civis fizeram buscas, mas não encontraram o carro ou os suspeitos. Um inquérito foi aberto para investigar o caso, que foi registrado no 96º Distrito Policial (DP), do Brooklin.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG