Polícia estima que mais de 2 milhões de litros de leite tenham sido adulterados

selo

A Polícia Civil do Estado de Goiás prendeu hoje 14 pessoas durante uma operação que investiga a adulteração de leite na cidade de Jandaia, em Goiás. O delegado Danilo Fabiano Carvalho de Oliveira, que investiga o caso, disse que a quadrilha, formada pelo dono e funcionários de uma fábrica de queijos, trabalhava em conjunto com motoristas de caminhões que buscavam leite de propriedades rurais e faziam o transporte até grandes laticínios da região.

De acordo com o delegado, para obter um preço de produção de queijo mais baixo, era retirado dos caminhões uma certa quantidade de leite, que seria desviada para a fábrica de queijos. A quadrilha então repunha a quantidade retirada com soro, misturado a soda cáustica e água oxigenada, extremamente nocivas.

Oliveira contou que a chamada Operação Longa Vida, semelhante a operação Ouro Branco realizada em Minas Gerais, teve início há dois meses após denúncias de pessoas que trabalhavam na área e conheciam o esquema. Até o momento, estima-se que mais de 2 milhões de litros tenham sido adulterados.

Com as prisões, foi encerrada a primeira fase da operação. Agora a polícia, junto com a Agência Sanitária, quer saber como o leite adulterado teria passado desapercebido pelos produtores de laticínio. A polícia também pretende verificar a existência de outros casos de adulteração.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.