SÃO PAULO - Depois de arrebatar o apoio do psicanalista Augusto Cury, o Partido Verde (PV) aposta agora no poder de um mago para transformar popularidade literária em dividendos eleitorais. O escritor Paulo Coelho é a nova promessa da sigla para fortalecer o palanque da senadora Marina Silva (AC) à sucessão ao Palácio do Planalto em 2010.

Reuters
O escritor Paulo Coelho
O convite para integrar a legenda foi feito no início de agosto pelo presidente nacional do PV, o vereador José Luiz Penna (SP).

O autor de best-sellers ainda não deu a resposta definitiva, mas, de acordo com integrantes do PV, a filiação de Coelho já é dada como certa por lideranças da sigla. "A filiação está praticamente fechada", confirmou à "Agência Estado" um dos membros da Executiva Nacional do partido. "O mago é amigo de Marina Silva e já tem acompanhado algumas discussões ideológicas", emendou.

O interesse no ingresso do escritor na vida pública foi manifestado inicialmente pelo próprio Paulo Coelho, que procurou a legenda no final de julho e ofereceu o seu nome à elaboração do novo projeto partidário do PV rumo às eleições de 2010. Animado com a possibilidade de ingresso do escritor aos quadros da legenda, Penna sentou à mesa com ele e sugeriu o lançamento de seu nome à disputa à Câmara dos Deputados no ano que vem, como confidenciou uma liderança do partido.

Coelho pediu um mês para avaliar a proposta. "Vamos conversar melhor nas próximas semanas, quando ele voltar de viagem aos Pirineus", assegurou Penna. "Estamos muito animados pela filiação dele. É uma personalidade importante que não é afinada politicamente com outras legendas", emendou. Procurado pela reportagem, o escritor negou que tenha telefonado para Penna dos Pirineus e fez mistério sobre a sua candidatura. "Ainda não tomei decisão de nada", afirmou.

Leia também:

Leia mais sobre: PV

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.