O Partido Verde (PV) deu largada na manhã de hoje ao processo de reformulação ideológica pelo qual a sigla deve passar rumo às eleições de 2010. Reunido a portas fechadas no diretório da legenda em São Paulo, na zona sul da Capital, o comitê responsável pela definição do novo programa do partido costura uma agenda de encontros que devem fixar as novas bandeiras da sigla.

Os dirigentes do PV buscam definir uma identidade em prol do desenvolvimento sustentável e contrária ao fisiologismo, retórica que visa dar envergadura eleitoral à eventual candidata da legenda à sucessão ao Palácio do Planalto, a senadora Marina Silva (AC).

A reunião que teve início às 10 horas é o primeiro encontro oficial do comitê partidário, formalizado pelo PV no dia 30 de agosto em evento que anunciou a filiação da ex-ministra do Meio Ambiente à sigla. O grupo é formado por 20 membros, além de Marina: 11 integrantes da Executiva Nacional do partido e nove aliados da senadora, alguns já integrados à legenda, como o ex-deputado federal petista Luciano Zica (SP) e o ex-secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente João Paulo Capobianco. Ambientalistas também fazem parte do comitê, como o diretor executivo do Greenpeace no Brasil, Roberto Kishinami, e o ex-presidente do Ibama Basileu Margarido.

A criação de um comitê de reformulação partidária foi condição imposta por Marina Silva para a sua filiação ao PV. A ex-petista tem conhecimento de que a sigla precisa atualizar as suas bandeiras e encontrar coerência na articulação de apoios nas esferas estadual e federal. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, por exemplo, o PV é aliado ao DEM e ao PSDB, partidos que fazem oposição ao governo federal. Contudo, no plano nacional, a sigla faz parte da base aliada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A previsão das lideranças do PV é que o novo programa fique pronto até o início do ano que vem para que, em junho de 2010, Marina Silva seja lançada como candidata do partido à Presidência da República.

Durante o período de discussões, no entanto, a sigla não deve interromper a articulação de apoios à eventual candidatura da ex-ministra do Meio Ambiente. O partido fala em diálogos com o PSB, PPS, PSOL e PDT. "Vamos articular com outros partidos. Só com alianças se vence uma eleição", disse o presidente nacional do PV, José Luiz Penna, em entrevista à Agência Estado .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.