PV filia empresários para reforçar candidatura de Marina

Na tentativa de dar musculatura à pré-candidatura presidencial da senadora Marina Silva (AC), o PV começou a pôr em prática a estratégia de aproximação com empresários e contabilizou uma vitória ao filiar Guilherme Leal, copresidente do Conselho da Administração da Natura, cotado para assumir o posto de vice na chapa dos verdes. A senadora conduziu ontem em São Paulo uma cerimônia de filiação de notáveis.

Agência Estado |

Apesar de terem sido preenchidas apenas 17 fichas de inscrição, 11 delas foram de pessoas com vínculos no setor empresarial.

Leal, que esteve ao lado de Marina na tribuna, conduzindo o evento, evitou ser direto quando questionado sobre uma eventual candidatura a vice. Mas não descartou a hipótese de disputar o cargo. "É um processo político que está aberto", afirmou o empresário. Indagado se seria o "José Alencar da Marina", numa referência ao vice do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o empresário respondeu que é um "servidor" do projeto da senadora.

"Com todo respeito que merece o vice José Alencar, eu sou o Guilherme Leal. E com todo o respeito e admiração que merece a senadora, sou o servidor do projeto de construção de um Brasil mais próspero que ela está se propondo a construir", declarou o empresário, chamado por Marina de "amigo e parceiro". "Poderíamos brincar que um é da Silva, e o outro é Leal", completou a senadora numa referência ao jurista José Afonso da Silva, que também se filiou ao partido.

A direção do PV trabalha para que o vice seja alguém com expressão no empresariado - Roberto Klabin, da SOS Mata Atlântica e do conselho da Klabin, também foi cotado. Avalia que a chancela de nomes do PIB paulista à pré-candidatura da senadora ajuda a torná-la uma alternativa com reais chances de vitória - e não mais um capítulo na tradicional polarização entre PT e PSDB, vista nas últimas quatro eleições presidenciais. Além de aumentar a entrada de Marina junto ao PIB paulista, os novos verdes podem contribuir em outra tarefa, a de arrecadação de fundos, uma ação complicada para partidos pequenos como o PV.

A dificuldade para a execução do plano de dar a vice a um empresário de São Paulo, no entanto, está em convencer os diretórios regionais. Minas e Rio de Janeiro também querem indicar filiados para o cargo. Ao comentar a filiação, Leal disse haver "um movimento de pessoas claramente comprometidas com a construção de um País mais interessante". "Esse grupo está mais e mais engajado sob a liderança de Marina", declarou. O empresário disse já ter votado em diversos partidos, entre os quais PT e PSDB.

Marina minimizou a presença de empresários durante o evento e disse que a filiação de Leal, assim como de outros nomes, não significa que será candidato. "Um grupo de pessoas altamente qualificadas resolveu se filiar. O empresário Guilherme Leal não é diferente do nosso constitucionalista professor Afonso." Mas disse que Leal está na "luta da sustentabilidade ambiental como vanguarda do movimento empresarial".

Entre os novos verdes que compareceram à cerimônia estavam Fernando Tedesco Simões, do Moinho Brasil, Ricardo Young, presidente do Instituto Ethos, Ricardo Guimarães, sócio e diretor-presidente da Thymus Branding, e Fernando Garnero, do Grupo Brasilinvest. Também tornaram-se verdes ontem a socialite Ana Paula Junqueira, que pode concorrer ao cargo de deputada federal, e o ex-jogador de vôlei Pampa.

A senadora e o presidente do PT, José Luiz Penna, também disseram ontem que o PV deverá ter candidatura própria a governador tanto em São Paulo como no Rio de Janeiro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG