A senadora Marina Silva, do Acre, deve ocupar quase integralmente o programa político do PV, que será exibido na noite desta quinta-feira em rede nacional de televisão.

Rafael Rigues
Marina Silva
Marina Silva será destaque no programa de TV
Os verdes querem aproveitar os dez minutos disponíveis no horário nobre de audiência para tornar mais conhecida sua virtual candidata à Presidência e turbinar seu avanço nos índices de pesquisas eleitorais.

De acordo com avaliação interna do PV, tendo em conta a sondagem mais recente, realizada pelo Instituto Sensus e divulgada nesta semana, as intenções de voto em Marina crescem de forma sustentada, mas em ritmo mais lento do que o desejável.

Na pesquisa anterior do mesmo instituto, de novembro, a senadora tinha 5,9% dos votos do eleitorado pesquisado. Agora apareceu com 6,8%, o que significa uma oscilação inferior a 1%. Ela ocupa a quarta posição entre os prováveis candidatos, atrás de José Serra (PSDB), Dilma Rousseff (PT) e Ciro Gomes (PSB).

Relato pessoal

No programa, Marina deverá falar sobre educação e dos seus esforços para aprender a ler e escrever. Ela só foi alfabetizada aos 16 anos de idade e quase desistiu de retornar à escola após o primeiro dia de aula por causa de um mal-entendido. Segundo a narrativa da senadora, ao ouvir seu nome na hora da chamada ela se levantou e foi até a mesa da professora, que se irritou e disse: "você é abestada, menina? Chamada é pra responder presente."

Humilhada, a adolescente pensou em não mais voltar à escola. Mas acabou concluindo que, se não estudasse, corria o risco de ser chamada de "abestada" pelo resto da vida. Segundo Alfredo Sirkis, vice-presidente nacional do PV, ela voltou e aprendeu a ler e escrever em 15 dias. Esse foi o primeiro grande passo que deu na vida, deve dizer ela hoje aos eleitores.

A proposta dos produtores do programa é dar um ar coloquial à conversa da provável candidata com o eleitorado e valorizar sua história de vida. "A maioria da população não conhece a Marina nem sua história", diz Sirkis. "De modo simples, sem o esquema das superproduções que vemos por aí e que pasteurizam os candidatos, ela vai falar diretamente com o espectador, olho no olho."

Leia também:

Leia mais sobre: Eleições 2010

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.