O número de homicídios dolosos (aqueles em que há intenção de matar) cresceu no Estado de São Paulo no último ano. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado, divulgados nesta quarta-feira, em 2009, foram registrados 4.778 homicídios dolosos, contra 4.690, em 2008.

A alta ocorreu, principalmente, devido ao aumento dos crimes no interior do Estado. Comparando apenas os dados do último trimestre de cada ano, os homicídios dolosos subiram 3,2% no interior, passando de 521, em 2008, para 538 casos, em 2009.

A área mais violenta está ligada ao Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo (Deinter) 1, que abrange as regiões de São José dos Campos, Vale do Paraíba e litoral norte.

Já na capital e Grande São Paulo os homicídios tiveram queda na comparação dos dois trimestres. Na cidade de São Paulo, foram 328, no 4º trimestre de 2009, contra 337 no mesmo período do ano anterior. Na Grande São Paulo, a redução foi de 17,9%.

Avaliando apenas o 4º trimestre do ano, os índices foram positivos. O roubo de veículos caiu 2,67% e, o de bancos, 7,5%. Já os latrocínios caíram de 71 para 42 casos.

Porém, como um todo, o ano de 2009 teve uma piora generalizada nos índices de criminalidade. Os roubos alcançaram o valor mais alto da série histórica, com 257.004 ocorrências, 18% acima do ano anterior.

A violência policial também aumentou. No ano passado, foram registrados 549 casos de resistências seguidas de morte - quando a vítima morre em supostos confrontos com a polícia. O total é 27% maior do que os 431 casos contabilizados no ano anterior.

Contudo, para a Secretaria de Segurança Pública, os últimos dados apresentados apontam para um ciclo de queda da criminalidade, visto que o terceiro e quarto trimestres de 2009 tiveram redução. A SSP atribui a alta do 1º semestre à crise financeira mundial.

Roubos e furtos

De acordo com a Secretaria, alguns índices relacionados a roubos e furtos não podem ser comparados, já que, durante a greve dos policiais civis, entre agosto e novembro de 2009, muitos casos não foram registrados. Segundo levantamento do órgão, em média 21% das ocorrências foram sub-notificadas, o que na prática representa que, de cada 100 casos, apenas 89 foram de fato registrados.

Estupros

Conforme a SSP, a mudança na conceituação do estupro, que passou a incluir os atos libidinosos e atentados violentos ao pudor na Lei Federal 12.015, aumentou significativamente o número deste tipo de registro no Estado. No 4º trimestre de 2009, foram 2338 casos contra 924 no mesmo período de 2008.

Leia mais sobre: violência

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.