O futuro dos parlamentares envolvidos nas acusações de comércio ilegal de passagens vai depender da corregedoria da Câmara, órgão responsável por investigar a participação de deputados em irregularidades. Os trabalhos começam nesta segunda-feira (3) e servirão de base para eventuais punições de congressistas.

O corregedor da Câmara, ACM Neto (DEM-BA), tem em mãos o relatório concluído na semana passada pela comissão de sindicância. O documento vai funcionar como uma espécie de roteiro nas investigações conduzidas pelo deputado baiano.

Até agora, apenas servidores do congresso e funcionários de agências de viagens foram ouvidos no caso. O Congresso em Foco apurou os bastidores dos últimos dias de trabalho dos funcionários destacados pela Diretoria Geral da Câmara para investigar a venda ilegal de créditos aéreos das cotas dos parlamentares.

Leia a reportagem completa no Congresso em Foco


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.