As executivas estadual e municipal do PTB definiram hoje o nome do deputado estadual Campos Machado como vice na chapa encabeçada pelo tucano Geraldo Alckmin à Prefeitura de São Paulo nas eleições de outubro deste ano. As duas legendas já haviam firmado aliança no início do mês passado, mas o nome que o PTB iria indicar para a chapa tucana ainda não havia sido formalizado.

O outro nome que estava na disputa para compor a chapa de Alckmin era o do senador Romeu Tuma (PTB-SP).

Agora, os petebistas aguardam a definição sobre a chapa de vereadores. Quando a aliança foi formalizada, no dia 5 de maio, o deputado Campos Machado defendeu que o acordo entre os dois partidos fosse fechado também no campo proporcional, ou seja, que incluísse a chapa de vereadores. Diante do imbróglio que o PSDB paulista enfrenta, por conta da defesa que 11 de seus 12 vereadores fazem pela manutenção da aliança com o DEM do prefeito e candidato à reeleição Gilberto Kassab, o PTB decidiu abrir mão dessa reivindicação e sair com chapa própria de vereadores nas eleições.

De acordo com Campos Machado, essa questão será definida ainda esta semana, na conversar que terá com o presidente municipal do PSDB, José Henrique Reis Lobo. O líder petebista acredita que seu partido terá condições de fazer uma boa bancada de vereadores na capital paulista. "O PTB cresceu 15 anos em 2007, já é o segundo partido, em número de filiados, tanto na capital, como no interior do Estado, e tem condições de fazer uma grande bancada", diz.

Desde o fechamento da aliança com o PTB, os tucanos vinham resistindo a estender o acordo para a chapa de vereadores. Na avaliação da direção do PSDB na capital paulista, este seria mais um motivo para acirrar a divisão do partido em São Paulo porque o PTB tem nomes competitivos para a Câmara Municipal e poderia tirar algumas vagas dos tucanos na corrida eleitoral.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.