aliança branca com PSDB paulista - Brasil - iG" /

PTB lança Tuma ao Senado em aliança branca com PSDB paulista

Enquanto tucanos discutem o nome do candidato da legenda ao Senado, o PTB decidiu lançar Romeu Tuma em São Paulo com ou sem PSDB. ¿É irreversível. Vamos lançar a campanha na primeira quinzena de maio¿, diz o presidente estadual do PTB, o deputado Campos Machado. Mesmo com candidatura própria ao Senado, o deputado garante apoio aos tucanos na corrida ao governo e à presidência. A ¿aliança branca¿ é uma maneira de contornar as regras eleitorais, que impedem que uma coligação lance mais do que dois candidatos ao Senado. ¿Infelizmente não cabem três senadores na mesma coligação¿, afirma.

Nara Alves, iG São Paulo |

Sem uma aliança formal com o PTB, o PSDB deixará de ganhar minutos de programa eleitoral na televisão. De qualquer maneira, o PTB deverá usar esses minutos para pedir votos para Geraldo Alckmin e José Serra. Segundo Campos Machado, esse apoio informal é uma questão de lealdade.

Se os dirigentes do PSDB não têm apreço à palavra lealdade, nós temos. Apoiaremos de maneira inquestionável a candidatura de Alckmin em São Paulo porque demos nossa palavra e eu tenho uma ligação fraterna com ele, diz, referindo-se ao apoio que o partido deu ao PSDB em eleições anteriores. Em 2008, Campos Machado foi vice de Alckmin na disputa pela Prefeitura de São Paulo. Em 2000, também foi vice do ex-governador quando ele se candidatou a prefeito.

O apoio a José Serra também já está acertado desde a última quinta-feira, segundo ele. Não existe a menor possibilidade de o PTB não apoiar Serra e Alckmin, independente de estar dentro ou fora da coligação.

O senador Romeu Tuma foi preterido como candidato pelo PSDB, que pretende indicar um nome tucano ao Senado. Apesar de a coligação dispor de duas vagas na disputa, uma delas já está assegurada ao peemedebista Orestes Quércia num acordo fechado na reeleição do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM).

A outra vaga conta com três tucanos no páreo: o deputado José Aníbal, o ex-secretário da Casa Civil Aloysio Nunes Ferreira e o presidente estadual do PSDB, Antonio Carlos Mendes Thame. Se os tucanos não chegarem a um consenso, haverá a necessidade de prévias internas para a escolha do candidato.

Suplente de Tuma

A candidatura do senador Romeu Tuma à reeleição é tão certa, segundo Campos Machado, que o PTB já tem até o nome do primeiro suplente para a vaga. Acertamos a indicação do suplente de Tuma, que será o professor Antonio Carlos Carbonari, adianta.

Carbonari é diretor-presidente da Anhanguera, a maior compradora de faculdades do País, com 250 mil alunos. A empresa registrou lucro líquido de R$ 2,9 milhões no quarto trimestre de 2009, revertendo o prejuízo de R$ 1,9 milhão apurado no mesmo trimestre de 2008. A receita líquida cresceu 9,6%, para R$ 210,3 milhões, segundo dados divulgados em março deste ano pela companhia.

Leia também:

    Leia tudo sobre: eleição no senadopsdbptb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG