PTB homenageia Dilma e negocia com Serra

O PTB homenageou a ministra da Casa Civil e pré-candidata petista a presidente, Dilma Rousseff, com um jantar na terça-feira, na casa do senador Gim Argello (DF), mas a direção nacional do partido mantém de pé a negociação de uma aliança com o PSDB, em torno da candidatura do governador paulista José Serra. O Gim fez o que tinha que fazer: foi um jantar democrático, mas lá na frente o que vai valer é a convenção, diz o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson.

Agência Estado |

Defensores da candidatura Serra, Jefferson e o presidente do PTB paulista, Campos Machado, não têm dúvida de que controlam a maioria dos votos dos convencionais que irão definir com quem ficará o partido na corrida presidencial. Em São Paulo, os dois já fecharam um acordo com o possível candidato tucano a governador Geraldo Alckmin. Pelo acerto, o senador Romeu Tuma (PTB-SP), que participou do jantar à Dilma, ficará com uma vaga de senador para disputar a reeleição na chapa tucana.
Apesar de a Executiva Nacional petebista ser majoritariamente de oposição ao governo Lula e à sua candidata, o anfitrião da homenagem à petista afirma que o jogo sucessório está apenas começando e promete trabalhar muito em favor da petista. "Sou Dilma e estou lutando para que o PTB fique com ela desde os tempos em que a candidata tinha a preferência de apenas 3% do eleitorado nas pesquisas de intenção de voto", anuncia o senador Gim Argello (DF), decidido a organizar novos encontros para arrebanhar votos para a petista.
Boa parte dos 50 convidados do senador classifica a fala do senador Fernando Collor (PTB-AL) como "o discurso mais apaixonado" em favor da petista e do Planalto. "Lula foi o melhor governo desde Vargas até hoje. Precisou chegar um operário à presidência para nos dar lições de humildade", disse Collor, a despeito das divergências antigas com o PT.(Colaborou Vera Rosa)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG