PT usa PAC para Dilma crescer em Minas Gerais

SÃO PAULO - O uso político do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) já começou em Minas Gerais, Estado onde nasceu a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, nome mais forte do Planalto para a sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. ¿O governo federal está fazendo o maior investimento da história do Brasil em Minas¿ é o mote das inserções em rádio e TV que o diretório estadual do Partido dos Trabalhadores veiculará neste mês.

Agência Estado |

Dilma é umas das estrelas da campanha e lembra aos mineiros que o valor previsto para Minas no PAC é de quase 10% do total reservado para o País. Considerando apenas os recursos que saem do Orçamento da União para o programa, Minas Gerais já lidera o ranking dos Estados que tiveram maior volume de dotações autorizadas: R$ 3,6 bilhões entre 2007 e 31 de março deste ano. Para São Paulo, o valor autorizado no mesmo período soma R$ 2,9 bilhões.

A revisão do programa, anunciada em fevereiro, quando a ministra apresentou o balanço dos dois primeiros anos, foi generosa com os mineiros. O Estado foi beneficiado com um acréscimo de R$ 11,7 bilhões em investimentos previstos. O valor até 2010 subiu de R$ 29,3 bilhões para R$ 41 bilhões, um aumento de 39,93%.

Apenas para os baianos a revisão do PAC foi mais vantajosa do que para os mineiros. Na Bahia, o valor previsto subiu de R$ 24,7 bilhões para R$ 37 bilhões. Os paulistas tiveram um acréscimo de apenas 0,4%, elevando o valor previsto de R$ 99 bilhões para R$ 99,4 bilhões. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia também:

Leia mais sobre: Dilma Rousseff

    Leia tudo sobre: dilma rousseffpt

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG