PT tenta reaproximação com PSB em São Paulo

A recente aproximação entre PSB e PP para a composição de uma chapa ao governo de São Paulo levou petistas e aliados a tentar um último esforço para ter o apoio dos pessebistas à candidatura do senador Aloizio Mercadante (PT) ao Palácio dos Bandeirantes. Em reunião ontem, na capital paulista, lideranças do PT e de cinco legendas aliadas decidiram procurar o PSB.

Agência Estado |

Uma reunião com o presidente estadual do PSB, deputado Márcio França, deve ocorrer até o fim deste mês.

No início do ano, o PSB chegou a ser cogitado para encabeçar a chapa de oposição ao governo tucano no Estado, com a indicação do deputado federal Ciro Gomes (CE). Com a desistência de Ciro, as negociações com o PT foram interrompidas após o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, ter se negado a abrir mão da candidatura ao governo de São Paulo. O PSB têm articulado desde a semana passada uma aliança com o PP que garanta palanques regionais e maior tempo de campanha de TV às duas siglas.

"Avaliamos procurar o Márcio França para conferir se há a possibilidade de o PSB apoiar o Mercadante", afirmou o presidente do PDT em São Paulo, o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força. O presidente estadual do PT, Edinho Silva, admite que os petistas não desistiram da aliança com os pessebistas. "O PSB é fundamental para a construção do nosso projeto", afirmou. "Queremos ampliar nossa aliança. Não é hora de encerrar as negociações. Mas temos respeitado a condição do PSB de construir candidatura própria."

O PT já fechou acordo com PDT, PPL, PR e PRB e está próximo de obter o apoio do PC do B. Os petistas também pretendem fazer composição com o PSB, PTN, PTdoB, PRP, PSL, PHS e PSC.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG