PT também pede o afastamento de Sarney da presidência do Senado

BRASÍLIA - O PT também decidiu, nesta quarta-feira, pedir o afastamento temporário de 30 dias do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), do comando da Casa. A recomendação foi feita em reunião com o próprio senador, nesta manhã, e não foi aceita por Sarney. Agora, líderes do PT devem se reunir com o presidente Lula para definir qual posição o partido irá tomar no caso.

Severino Motta, repórter em Brasília |

AE
Ideli e Mercadante deixam casa de Sarney

Ideli e Mercadante deixam casa de Sarney

Nesta manhã, representantes do partido estiveram com Sarney e sugeriram que ele se licenciasse do cargo por 30 dias, para que reformulações administrativas fossem feitas. De acordo com o líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante, o presidente não aceitou a proposta.

Ele não aceitou. Nós pensamos que o afastamento de 30 dias seria razoável para o grupo [paralelo à Mesa] trabalhar e ajudaria o Senado a atravessar a crise, explicou Mercadante.

Mercadante disse que vai ter uma reunião com o presidente Lula antes de definir se o PT vai para o embate contra Sarney ou se mantém o apoio.

Por outro lado, Sarney aceitou as ideias de reformulação administrativa da Casa propostas pela sigla. Entre elas, a formação de uma espécie de Mesa Diretora paralela responsável pela formulação de um projeto administrativo para o Senado.

Sarney também teria concordado com a criação de uma espécie de Lei de Responsabilidade Administrativa e Fiscal, visando a redução dos custos da Casa e de seu pessoal. Bem como esclarecendo o papel, responsabilidades e punições para os servidores e senadores.

Outro ponto levado pelo PT a Sarney diz respeito ao aprofundamento das investigações dos chamados atos secretos. Mercadante disse que todos os fatos devem ser apurados e que os identificados, sejam senadores, sejam servidores, devem ser punidos.

AE
Sarney chega ao Senado nesta quarta-feira
Ao ser questionado porque não tomar uma decisão mais dura contra Sarney, Mercadante disse que, além de esperar a reunião com Lula, não é possível responsabilizar somente um senador pela crise. Disse ainda que há cerca de 20 anos, a primeira-secretaria, órgão mais importante da Casa após a presidência, sempre esteve nas mãos do DEM.

Disse também que na reunião com Lula o partido deve ponderar o possível rompimento com o PMDB para a governabilidade e para a aliança nas eleições de 2010.

Sarney também quer ver Lula

Nesta terça-feira, a ministra Dilma Rousseff esteve com o presidente Sarney e lhe pediu que não renunciasse à presidência do Senado antes de falar com Lula. Há informações de bastidores dando conta que Sarney já teria tomado a decisão pela renúncia, mas que vai aguardar o encontro com Lula, que pode demovê-lo da ideia.

Por enquanto o PSDB, DEM, PDT e PSol vieram a público pedir a saída de Sarney do cargo . O PSol, além do pedido, protocolou uma representação contra Sarney no Conselho de Ética do Senado acusando-o de omissão em relação aos atos secretos. 

Leia também:

Leia mais sobre José Sarney

    Leia tudo sobre: ptsarneysenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG