PT suspende parlamentares por quebra de ética partidária

O Diretório Nacional do PT decidiu nesta quinta-feira punir com um ano de suspensão o deputado Luiz Bassuma (PT-BA) por quebra de ética partidária. Contrário à orientação do partido em apoio à legalização do aborto, Bassuma foi acusado pela Secretaria Nacional de Mulheres petista de fazer discursos ofensivos contra o aborto.

Sarah Barros, repórter em Brasília |

A Comissão de Ética do PT, que se reuniu nesta tarde, apresentou parecer pela expulsão do parlamentar. Porém, o plenário resolveu suspender Bassuma, comunicando à bancada na Câmara dos Deputados que o parlamentar está impedido de participar das comissões da Casa, das quais faz parte.

Bassuma também deverá retirar todos os projetos referentes ao aborto. O entendimento é que Bassuma não pode se manifestar contra as posições do partido sem cuidado.

Ainda nesta tarde, o PT decidiu suspender também o deputado Henrique Afonso (AC), julgado por quebra de ética partidária por também ter criticado o posicionamento do partido. No caso de Afonso, a medida é mais branda. Ele não poderá votar nem ser votado em reunião do PT por 90 dias. As atividades na Câmara, porém, poderão seguir normalmente.

Discordância

Conflitos de posicionamentos já ocasionaram a saída de um parlamentar do PT, no mês passado. O senador Flávio Arns decidiu deixar o partido depois que a legenda determinou que seus filiados no Senado votassem a favor do arquivamento de denúncias contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), no Conselho de Ética da Casa.

Leia mais sobre: PT - aborto

    Leia tudo sobre: abortopt

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG