O PT quer aumentar a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República. Apreensivos com a dianteira do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), nove pontos à frente segundo a última pesquisa Datafolha, dirigentes do partido trabalham para reforçar a presença física do presidente na campanha.

"Temos pela frente um candidato competitivo, de um partido competitivo, que esteve à frente do Executivo por oito anos antes da eleição do presidente Lula. Temos também uma candidata que se mostrou competitiva e que tem condição de vencer. Caberá ao presidente Lula ser o diferencial nessa campanha. É ele que vai decidir", disse o governador de Sergipe, Marcelo Déda (PT).

Déda e o presidente do PT, José Eduardo Dutra, também de Sergipe, acham que Lula deverá participar da campanha de Dilma sem se licenciar do cargo. Segundo o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, Lula poderá fazer campanha normalmente, desde que nos fins de semana e fora do expediente de trabalho. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.