PT formaliza apoio a Michel Temer, do PMDB, à presidência da Câmara

BRASÍLIA - A bancada do PT da Câmara dos Deputados reforçou nesta quinta-feira o apoio a Michel Temer (SP), candidato do PMDB à presidência da Casa, na sucessão de Arlindo Chinaglia (PT-SP). A eleição está marcada para fevereiro de 2009.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Foi unânime, sem qualquer dúvida ou vacilação. Apoiamos o Temer porque ele nos apoiou em 2007 com base nesse apoio futuro e porque ele é um grande nome, afirmou o presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini. No Senado, vamos continuar lutando pelo Tião [Viana], inclusive buscando votos na bancada do PMDB, mas uma coisa independe da outra, continuou, em referência à declaração feita ontem pelo PMDB, de que não irão apoiar Tião Viana (AC), do PT, para presidente do Senado. Segundo eles, a legenda terá candidato próprio na corrida pela sucessão.

A declaração do apoio dos petistas a Temer, porém, foi uma mera formalidade, uma vez que, ao lançar Chinaglia à presidência da Câmara, em 2007, Berzoini assinou um documento entregue ao PMDB garantindo apoio ao candidato peemedebista em 2009 em troca do endosso do partido a Chinaglia, naquela época.

No Senado, em contrapartida, não houve acordo em 2007, quando Renan Calheiros (PMDB-AL) ¿ que um ano depois renunciou o cargo sob denúncias de quebra de decoro parlamentar - foi eleito presidente com o respaldo do PT.

Apesar da briga pela divisão do poder no Congresso Nacional, Temer disse não ter receio de que a disputa no Senado contamine sua eleição. O Senado cuida das suas coisas como a Câmara está cuidando das suas. Confio que no voto secreto, eles (petistas) traiam a meu favor.

Temer ainda confirmou que na sua gestão pretende analisar e aprovar alterações no Regimento Interno da Casa para garantir que o processo decisório e as votações sejam realizadas sem tantos obstáculos. Esse é um ponto que podemos analisar, com certeza, disse.

Mesa Diretora

Além de cumprir o acordo fechado em 2007 para a eleição de Chinaglia, o apoio formal do PT dado nesta quinta-feira abre as negociações pelas vagas que os petistas pretendem ocupar na Mesa Diretora no biênio 2009/2010.

Segundo o líder da bancada da Câmara, Maurício Rands (PE), o partido pretende ficar com a 1ª vice-presidência ou com a 1ª secretaria da Câmara e com uma das vagas de suplentes.

A eleição das Mesas Diretoras da Câmara e do Senado está marcada para 1º de fevereiro.

Leia mais sobre: Congresso Nacional

    Leia tudo sobre: congressopresidência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG