Minas Gerais continua sendo um palanque problemático para a candidata a presidente da República Dilma Rousseff. A cúpula do PT levou uma má notícia ao PMDB na reunião de quarta-feira à noite, em Brasília, entre dirigentes dos dois partidos para tentar resolver o impassse no Estado: o comando nacional do PT não vê mais chances de suspender as prévias, entre Patrus Anananias e Fernando Pimentel, que os petistas mineiros resolveram promover para escolher o candidato do partido a governador. " / Minas Gerais continua sendo um palanque problemático para a candidata a presidente da República Dilma Rousseff. A cúpula do PT levou uma má notícia ao PMDB na reunião de quarta-feira à noite, em Brasília, entre dirigentes dos dois partidos para tentar resolver o impassse no Estado: o comando nacional do PT não vê mais chances de suspender as prévias, entre Patrus Anananias e Fernando Pimentel, que os petistas mineiros resolveram promover para escolher o candidato do partido a governador. " /

PT e PMDB aprofundam impasse em Minas Gerais

http://images.ig.com.br/ult_us/selo_eleicoes.jpg align=leftMinas Gerais continua sendo um palanque problemático para a candidata a presidente da República Dilma Rousseff. A cúpula do PT levou uma má notícia ao PMDB na reunião de quarta-feira à noite, em Brasília, entre dirigentes dos dois partidos para tentar resolver o impassse no Estado: o comando nacional do PT não vê mais chances de suspender as prévias, entre Patrus Anananias e Fernando Pimentel, que os petistas mineiros resolveram promover para escolher o candidato do partido a governador.

Andréia Sadi, iG Brasília |

O PMDB havia pedido o encontro para tentar suspender as prévias, pois, segundo os peemedebistas declararam, elas inviabilizariam um acordo no Estado - considerado estratégico pelo comando da campanha de Dilma Roussef - entorno do ex-ministro das Comunicações Helio Costa, pré-candidato do PMDB ao governo de Minas.

Prévias

Na reunião a cúpula nacional do PT informou que ainda vai tentar convencer os petistas de Minas a indicarem o vencedor das prévias como candidato ao Senado, em vez do governo, em caso de um acordo com o PMDB.

Mas os peemedbistas presentes ao encontro, entre eles o presidente nacional do PMDB, Michel Temer, não consideram que essa proposta satisfaça ao partido em Minas. Ficaram, no entanto, de tentar convencer o ex-ministro das Comunicações, que não participou da reunião.

Helio Costa informara aos dirigentes dos dois partidos que não participaria do encontro para não passar a imagem de que advogava em causa própria. Mas ele tem cobrado uma decisão do partido, principalmente depois da declaração de Dilma, na sua última em viagem a Minas. A candidata à presidência havia sugerido uma dobradinha com o governador tucano, Antonio Anastasia.

Durante a viagem, Dilma fez um apelo para que petistas e peemedebistas firmem um acordo visando a um palanque único no segundo maior colégio eleitoral do País. Reuniu-se com Patrus e Pimentel, mas recusaram um recuo.

Descaso

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, avaliou que o encontro entre os partidos foi muito bom. Para peemedebistas que participaram da reunião, no entanto, o PT não está "levando muito a sério" os problemas de alianças enfrentados pela ex-ministra da Casa Civil. "Não é só Minas. Claro que está mal resolvido, mas observamos um descaso com os outros Estados", disse um líder do PMDB.

A candidata do PT está com problemas na montagem de palanques em 15 Estados, que abrigam 63% do eleitorado. Destes, dez seriam impasses só com o PMDB em regiões como Pará, Rio, e Bahia. O número de Estados é exatamente o mesmo em que seu principal rival, o tucano José Serra, já tem palanques prontos. Ele só enfrenta dificuldades no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e em Santa Catarina, que somam 13,3% do eleitorado.

Leia mais sobre eleições 2010

    Leia tudo sobre: eleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG