PT e PMDB ampliam campanhas em disputa por Senado

Os dois candidatos à presidência do Senado, o petista Tião Viana e o peemedebista José Sarney, começaram o domingo indo à missa em locais diferentes da capital federal, mas a campanha pelos votos dos senadores continua intensa na véspera da eleição. A partir das 14h de hoje, a líder do PT no Senado, senadora Ideli Salvatti (PT-SC), irá concentrar os esforços do partido para eleger Tião Viana numa assembleia permanente na liderança do PT.

Agência Estado |

O objetivo é refazer os contatos finais com senadores para garantir voto a voto. "Sabemos que a batalha é difícil, vamos ter de suar muito a camisa, mas podemos ganhar e nossa expectativa é de vitória", disse a senadora hoje pela manhã.

A concentração dos petistas não exclui aliados importantes, como lideranças do PSDB e PSB. O senador capixaba Renato Casagrande (PSB-ES) já está em Brasília para fortalecer a campanha de Tião Viana. Ideli reconheceu neste domingo a importância do apoio dos tucanos à candidatura petista. "Estou muito com feliz com o fato de o PSDB ter separado a agenda de 2010 da pauta da sucessão no Senado. Esse apoio foi fundamental", elogiou, admitindo que só a partir dessa adesão a candidatura de Tião Viana ganhou viabilidade. O esforço da reta final da disputa ainda prevê um jantar organizado pelo líder tucano Arthur Virgílio (PSDB-AM) com a bancada do PSDB para fechar posição de apoio a Tião Viana. Além disso, Virgílio deverá aproveitar a oportunidade para advertir o senador tucano Papaléo Paes (PSDB-AM), que fez declarações públicas em favor de José Sarney, de quem é amigo pessoal. O jantar será na casa do senador Marconi Perillo (PSDB-GO).

A campanha do PMDB garante que José Sarney irá vencer a disputa com pelo menos 50 votos, mas também manifesta preocupação com o peso de um apoio do governo à candidatura de Tião Viana. O grupo que apoia Sarney acusa o petista de tentar confundir apoio partidário com apoio do governo, mas lembra que uma boa prova de que o Palácio do Planalto não está interferindo na eleição é o fato de o líder peemedebista Renan Calheiros e o senador José Sarney terem sido recebidos pelo Presidente Luis Inácio Lula da Silva, enquanto o candidato petista não teve essa oportunidade.

Nos bastidores, no entanto, o PMDB queixa-se de que o chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, estaria trabalhando a favor de Tião Viana. Esse comportamento já teria, inclusive, levado Sarney a ligar para a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, para pedir neutralidade do governo e reclamar da atuação de Carvalho. Enquanto o PT concentra esforços na reta final da eleição na liderança do partido no Senado para garantir mais votos, o senador Sarney está na sua casa em Brasília, onde faz os últimos contatos e articulações por telefone, na companhia da filha, a senadora Roseana Sarney. O esforço peemedebista é atrair o maior número de votos dentro do PSDB, enquanto a estratégia petista hoje é obter votos entre o maior número de dissidentes no PMDB.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG