PT e DEM trocam farpas no Twitter sobre Arruda

As denúncias de corrupção contra o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), potencializadas pela divulgação de vídeo ontem com o governador recebendo dinheiro em espécie, viraram munição para a troca de farpas entre o Democratas e o PT neste final de semana nas páginas do microblog Twitter, que tem vários políticos entre seus usuários. Os representantes da duas legendas tentam mostrar uma diferenciação em suas atitudes.

Agência Estado |

O DEM fala em "não empurrar nada para baixo do tapete", aludindo ao comportamento do PT durante as investigações do mensalão. No PT, além da condenação veemente da corrupção, existe um tom de "saída dentro da legalidade" do governador, lembrando que o DEM falou abertamente em impeachment do presidente Lula em passado recente.

Ontem à tarde, o presidente nacional do PT, deputado federal Ricardo Berzoini (SP), escreveu em sua página (www.twitter.com/ricardoberzoini) que não defendia o impeachment de Arruda. "Não devemos agir como o DEM. Defendo que as investigações sejam feitas, com serenidade, sem baixaria". Mais tarde, após a divulgação do vídeo, Berzoini subiu o tom: "os vídeos e áudios de Arruda tiram qualquer autoridade para ele continuar no governo. A questão é: qual a saída dentro da legalidade", ponderou. Além dos comentários e provocações, Berzoini postou um link para o vídeo.

No DEM, além da cobrança de explicações "convincentes e esclarecedoras", o líder do partido na Câmara, deputado Ronaldo Caiado (GO), não perdeu a oportunidade de espetar o PT em seu micro blog (www.twitter.com/deputadocaiado): "O Democratas não vai se portar como o PT. Se houve erro, haverá punição de acordo com o que uma democracia prevê", escreveu. "Não vamos empurrar nada para baixo do tapete. São denúncias graves", completou. Ele ainda disse esperar as explicações do governador do DF: "Vamos aguardar o governador Arruda se manifestar. Todos merecem o direito de se defender, desde que com provas e fatos concretos".

O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), que já se manifestou em público sobre o caso, nada escreveu sobre ele no Twitter. E o senador José Agripino (RN) apenas postou um link para a nota oficial da legenda, divulgada ontem e que exigia "esclarecimentos convincentes" de Arruda.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG