PT de São Paulo exige retratação de Ciro

O presidente do PT-SP, Edinho Silva, publicou uma série de notas em seu microblog afirmando que o diálogo do partido com o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) dependerá de uma retratação pública do aliado.

Marcelo Diego, iG São Paulo |

"Um partido que lhe ofereceu apoio e lealdade não pode ser atacado. Nunca presenciei tamanha falta de habilidade política na minha vida", afirmou o dirigente petista.

Em entrevista ao jornal "Folha de S.Paulo", publicada nesta segunda, Ciro classificou o PT paulista de um "desastre", rechaçou a possibilidade de sair candidato ao governo de São Paulo e voltou a se colocar como pré-candidato à Presidência. A candidatura de Ciro em São Paulo nasceu de conversas com o próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a quem é creditada a ideia de querer transformar a disputa eleitoral deste ano em um plebiscito entre PSDB (cujo provável candidato será José Serra) e PT (Dilma Rousseff).

"Os principais quadros do PT, justa ou injustamente, entraram num problema. Não é brincadeira não, rapaz. José Dirceu, Genoino, Mercadante, Marta, João Paulo. Não é brinquedo não", disse o deputado, segundo o jornal.

"As lideranças citadas por Ciro estavam unidas em torno de sua candidatura para o governo de São Paulo. O diálogo só pode ser mantido se existir um esclarecimento público que imediatamente restaure a relação de respeito e confiança", afirmou Edinho.

"Os ataques gratuitos de Ciro ao PT paulista geram um problema no centro do campo partidário. O PT é o principal partido desta construção", afirmou.

Com o posicionamento de Ciro, cresce a expectativa no PT de lançar um nome próprio para concorrer ao governo de São Paulo. O senador Aloizio Mercadante é o preferido.

Leia mais sobre eleições 2010 .

    Leia tudo sobre: eleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG