PT cancela reunião mas mantém pedido para que Sarney se licencie

BRASÍLIA - O líder do PT no Senado, Aloízio Mercadante (SP), cancelou a reunião de sua bancada marcada para esta terça-feira por entender que não existiu nenhum novo posicionamento dos senadores sobre o caso José Sarney (PMDB-AP). Após consulta aos parlamentares, o líder disse que a posição do partido no Senado continua a mesma: a sugestão para que Sarney se licencie.

Severino Motta, repórter em Brasília |

Apesar de tal posicionamento não ser majoritário na bancada, dos 13 petistas só Aloízio, Tião Viana (AC), Eduardo Suplicy (SP), Marina Silva (AC) e Flávio Arns (PR) defendem de forma intransigente o afastamento, a bancada no Senado tem se manifestado através de notas neste sentido.

Isso porque o Planalto e a direção nacional da sigla têm orientado aos senadores, sob o argumento da governabilidade e das eleições de 2010, que defendam Sarney em seu cargo. Parte da bancada, entre eles Mercadante, que vai ter de disputar eleições no próximo ano, entende que a defesa aberta de Sarney pode provocar um desgaste eleitoral. Por isso a manutenção de uma posição dúbia sobre o caso desde o início.

Por um lado a bancada defende publicamente, através de notas, o licenciamento de Sarney. Por outro, não faz barulho em plenário e envia sinais ao PMDB que não vai ser o algoz de Sarney. Ainda nesta terça-feira o DEM e PSDB se reúnem para definir ações em torno da crise no Senado.

Leia também


Leia mais sobre crise no Senado


    Leia tudo sobre: ptsarneysenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG