Integrantes do PSOL promovem hoje e amanhã atos em solidariedade ao delegado da Polícia Federal (PF) Protógenes Queiroz e ao juiz da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo, Fausto de Sanctis. Protógenes comandou as investigações da Operação Satiagraha e De Sanctis decretou a prisão do sócio-fundador do Grupo Opportunity, Daniel Dantas, do investidor Naji Nahas e do ex-prefeito da capital paulista Celso Pitta.

Todos foram soltos por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Hoje à noite, a bancada do PSOL na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo se reúne no plenário Dom Pedro I da Casa. Amanhã, o partido vai comandar um protesto em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF), na Praça dos Três Poderes, em Brasília.

Em nota, o PSOL afirma haver uma "tentativa de desmoralizar os agentes públicos que se empenharam na busca de provas para demonstrar a corrupção que envolve o império Daniel Dantas". O partido acusa a existência de uma "tentativa interna de desestabilização institucional, que desvia o foco das conclusões da Operação Satiagraha e beneficia os principais acusados".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.