PSol acredita que regras de debates na internet podem ser mudadas na Câmara

BRASÍLIA ¿ O senador pelo Pará do PSol, José Nery, disse acreditar o texto da reforma eleitoral deverá ser modificado quando chegar à Câmara, no que se refere à regra imposta à internet para formação de debates entre candidatos.

Camila Campanerut, repórter em Brasília |

De acordo com o que foi aprovado pelos senadores nesta terça-feira , os debates via internet deverão seguir a regra que já vale para rádios e TVs, estipulando a participação de candidatos cuja legenda tenha mais de 10 deputados na Câmara. 

A medida contraria claramente o princípio de isonomia, garantindo apenas o direito aos grandes partidos. Os pequenos ficam na dependência dos meios que os promove, alega Nery. Atualmente, o PSol tem um representante no Senado e três na Câmara. 

Nery voltou a afirmar que, se caso não seja feita a alteração do projeto na Câmara, o partido vai entrar com uma ação direta de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF). Não podemos ser castigados por um critério excludente e partidário, define.

O senador lembra ainda que a emenda teve o aval do senador petista Aloizio Mercadante (SP). Justo o PT que já foi um partido pequeno, relata inconformado. Parlamentares de outros partidos com poucos parlamentares no Congresso, como PRTB e PCdoB, já entram em contato com ele, expressando apoio à causa.

Partidos pequenos

Segundo os dados da Câmara, há oito partidos, além do PSol, com menos de dez deputados eleitos para a Casa. Esses também seriam prejudicados com a não obrigação dos sites e outros veículos de comunicação de chamá-los para debates. São eles: PSC (com 9 deputados); PMN(3); PSOL (3); PTC (3); PHS (2) ; PRONA (2); PAN (1); PRB (1) e PTdoB (1).

Leia também:


Leia mais sobre: reforma eleitoral

    Leia tudo sobre: câmara dos deputadospsolreforma eleitoralsenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG