Psicóticos desempregados demoram o dobro para procurar ajuda, diz USP

Psicóticos desempregados demoram duas vezes mais para procurar atendimento médico que os doentes empregados, revela pesquisa da Faculdade de Medicina da USP. O estudo Período de psicose sem tratamento (PPST) em indivíduos com psicoses funcionais (casos incidentes) na Cidade de São Paulo verificou que pessoas que sofrem de psicose levam, em média, 4,1 semanas para procurar atendimento médico desde que aparecem os primeiros sintomas da doença.

Agência Estado |

Segundo explica a terapeuta ocupacional, Alexandra Martini de Oliveira, responsável pelo trabalho, os dados mostram a importância do convívio social e da família no diagnóstico e procura de tratamento.

Ela afirma que é importante perceber mudanças de comportamento nos familiares e encará-las sem preconceito. “As pessoas que demoram mais para procurar serviços de saúde, geralmente, não moram com a família, saem menos de casa e costumam deixar de ir a reuniões com outras pessoas" , diz Alexandra. O transtorno psicótico é caracterizado por delírios (pensamentos que não condizem com a realidade, como medo de perseguição) e alucinações (ouvir vozes, ver objetos e coisas inexistentes). O psicótico pode apresentar, também, desorganização no pensamento e na fala.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG