http://educacao.ig.com.br/acordo_ortografico/Acordo Ortográfico hspace=4 src=http://images.ig.com.br/educacao/reforma_140x75.gif align=left vspace=3 border=0SÃO PAULO - A psicóloga Renata Novaes Pinto, 44 anos, foi morta a tiros na manhã desta quinta-feira no bairro da Vila Madalena, zona oeste de São Paulo. A Polícia suspeita que ela foi executada, já que nenhum pertence foi levado pelos autores do crime. Renata trabalhava no departamento de psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo desde 1998.

AE
Foto de arquivo / AE
Psicóloga em foto de arquivo
De acordo com o delegado Jorge Carrasco, o crime é considerado uma execução porque nenhum pertence da psicóloga foi levado. Não é latrocínio porque não foi roubado nada. Discordo totalmente desta possibilidade. Pelas características do fato, eu afirmaria que foi uma execução, disse Carrasco.

As imagens gravadas pela câmera de segurança do prédio vizinho a casa onde Renata morava, na Vila Beatriz, zona oeste, mostram que uma moto com duas pessoas parou e logo em seguida foram disparados três tiros contra ela. O veículo tinha a placa dobrada para dificultar sua identificação.

Segundo o delegado, ainda falta descobrir a motivação e a autoria do

  crime. Ele afirmou que não existe registro feito pela psicóloga de ameaças.

Renata foi socorrida e encaminhada ao Hospital das Clínicas de São Paulo (HC-SP), onde não resistiu aos ferimentos e morreu. O caso é investigado no 14º Distrito Policial (Pinheiros).

Leia mais sobre: assassinato

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.