Psicanalista Roberto Freire é cremado em São Paulo

Morreu ontem à noite o médico psiquiatra, psicanalista e escritor Roberto Freire, de 81 anos. Ele ficou conhecido na década de 1970 por criar, com base nos estudos de Wilhelm Reich, a Somaterapia, método revolucionário de psicanálise que busca a saúde e a harmonia emocional.

Agência Estado |

Freire estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. A causa da morte do psicanalista não foi divulgada. O corpo do escritor foi cremado por volta do meio-dia de hoje, no Crematório da Vila Alpina, na capital paulista.

O psiquiatra escreveu vários romances, livros de ensaios e integrou a equipe de roteiristas de séries de televisão como "Malu Mulher" e a primeira edição de "A Grande Família", ambos na Rede Globo. "Sem Tesão Não Há Solução", livro de ensaios, vendeu mais de 200 mil exemplares. Também são bem conhecidos "Cléo e Daniel", "Sem entrada e sem mais nada", "Utopia e Paixão" e "Ame e dê Vexame".

Em 1992 foi criado um grupo de pesquisa e ação da Soma, terapia anarquista que nasceu para combater a idéia então vigente na sociedade de controle e redução do prazer, o que a longo prazo, segundo Freire, origina as neuroses. Este grupo de somaterapeutas, chamado de Coletivo Brancaleone, foi supervisionado desde então pelo próprio psicanalista. Freire se definia como "militante do tesão".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG