PSDB vai solicitar informações sobre gastos de Dilma no sertão nordestino

BRASILIA ¿ O líder do PSDB na Câmara, o deputado José Aníbal (SP), aguarda o início da ordem do dia no plenário da Casa para protolocar um requerimento que pede à Casa Civil informações sobre os gastos da ministra-chefe, Dilma Rousseff, na viagem que fez ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao sertão nordestino para visitar obras de transposição do Rio São Francisco.

Camila Campanerut, repórter em Brasília |

Repórteres que acompanharam a viagem da comitiva ao sertão nordestino relataram que foram consumidas bebidas alcóolicas e iguarias, o que  levou o deputado tucano a cobrar o detalhamento sobre os gastos durante a viagem e a confirmação se houve licitação nos serviços contratados, em especial os de cozinha. A Casa Civil tem o prazo constitucional de 30 dias para responder o requerimento.

O governo federal alega que a viagem de três dias aos Estados da Bahia, Pernambuco e Paraíba tinha como objetivo inspecionar as obras na região. Fiscalizamos obras, discutimos prazos, explica o líder do PMDB na Câmara, o deputado Henrique Eduardo Alves (RN), que participou da comitiva que acompanhou o presidente.

AE
Ciro e Dilma junto com Lula iniciam maratona de vistoria das obras do São Francisco
Ciro e Dilma junto com Lula iniciam maratona de vistoria das obras do São Francisco

Além dele, a comitiva contou com a presença do governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), dos ministros da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, das Cidades, Márcio Fortes, das Comunicações, Franklin Martins, e do ex-ministro e também pré-candidato à presidência, o deputado Ciro Gomes (PSB-CE), entre outros.

No requerimento entregue à presidência da Câmara, o líder tucano alegou que durante a viagem houve uma série de comícios em palanques que podem caracterizar a antecipação da campanha eleitoral de 2010 e desvio de finalidade de viagem.

Tanto requinte não condiz com o ritmo lentíssimo das obras para a transposição da águas do rio São Francisco. Os dados do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi) mostram que o governo Lula previu um total de R$ 1,163 bilhão para esta obra em 2009, mas até o momento só conseguiu aplicar pouco mais de R$ 51 milhões.  Esse desapreço gerencial revela que a festa do governo não tem correspondência na área do trabalho e, enfim, que tamanha festa não se justifica, disse Aníbal no requerimento.

O deputado Henrique Alves, um dos principais aliados do governo na Câmara, apontou uma justificativa para a movimentação da oposição. É natural e é direito da oposição criticar. Eles sofrem de uma crise existencial. Não sabem se ficam com Aécio [Neves, governador de Minas Gerais] ou com [José] Serra [governador de São Paulo], aponta.

Eles temem a visibilidade de Dilma. Nós subimos no palanque não fazer campanha, mas para falar de obras, que só presidente Lula teve coragem de executar, explica o peemedebista. 

Leia também:

Leia mais sobre eleições 2010

    Leia tudo sobre: dilmadilma roussefdilma roussefflula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG