PSDB pede afastamento de diretor-geral do Senado

BRASÍLIA - O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), defendeu, em nota, o afastamento do diretor-geral do Senado, Agaciel Maia. O servidor, segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, teria escondido da Justiça a posse de uma mansão avaliada em R$ 5 milhões em área nobre de Brasília. No documento, Virgílio ainda critica a decisão do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), de pedir ao Tribunal de Contas da União (TCU) que avalie a transação de compra da mansão.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

A Casa não pode fugir às suas responsabilidades e o recurso ao TCU parece mais escapismo, diz. A acusação ao diretor-geral, Agaciel Maia, é extremamente séria. O presidente da Casa, senador José Sarney, deveria tê-lo afastado do cargo, completa.

No documento, Virgílio diz que o afastamento é necessário para a investigação sobre o patrimônio de Agaciel (se ele teria, ou não, condição de adquirir o imóvel em 1996) seja concluída. A partir daí, diz o líder tucano, Maia poderia ser permanentemente banido ou voltar às suas funções.

Ainda no documento, Virgílio aproveita para criticar a administração de Sarney, uma vez que o PSDB votou em Tião Viana (PT-AC) para a presidência do Senado. O primeiro gesto da nova direção do Senado deveria ter sido o de promover profunda renovação no quadro vigente e nos costumes administrativos da Casa, disse.


Leia mais sobre:
Agaciel Maia

    Leia tudo sobre: agaciel maia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG