Publicidade
Publicidade - Super banner
Brasil
enhanced by Google
 

PSDB lançará candidatura Serra no final de março

Por Raymond Colitt BRASÍLIA (Reuters) - O PSDB, principal partido da oposição, confirmará o governador de São Paulo, José Serra, como candidato à Presidência provavelmente no final de março, disse à Reuters o presidente nacional da legenda nesta quinta-feira.

Reuters |

O senador Sérgio Guerra (PE) afirmou ainda que Serra, se vencer as eleições de outubro, irá aperfeiçoar a disciplina fiscal ao limitar os gastos correntes, vai manter o regime de câmbio flutuante e fortalecerá as agências reguladoras.

"Não há dúvida, será Serra", afirmou Guerra à Reuters.

"Até o final de março, esta questão estará resolvida", disse ele sobre o anúncio oficial da candidatura de Serra.

O governador lidera pesquisa com 36 por cento das intenções de voto, à frente da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, candidata do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à sua sucessão, com 25 por cento, segundo levantamento do Ibope deste mês.

Guerra disse que um governo do PSDB reforçaria a disciplina fiscal em relação à administração atual.

"Nós vamos ter uma política fiscal muito mais responsável do que tem o governo atual, significa ter um rigor fiscal maior, não permitir crescimento da despesa corrente num nível que ela está se desenvolvendo, ganhar eficiência na administração pública e nos investimentos públicos", afirmou.

Essas medidas aumentariam a capacidade do governo de investir, permitiriam a queda das taxas de juro e evitariam uma valorização excessiva do real, declarou.

O Brasil tem uma das maiores taxas de juro entre as principais economias do mundo, o que atrai capital externo que contribui com a valorização do real.

Lula esteve à frente de um dos maiores crescimentos econômicos do Brasil em décadas, mas os gastos do governo subiram no ano passado.

Dilma, que foi anunciada como candidata do PT no sábado, planeja dar sequência à atual política econômica, mas também defende uma participação maior do Estado na economia.

Nenhum dos candidatos parece se distanciar das políticas econômicas elogiadas por investidores e que marcaram os dois mandatos de Lula na Presidência.

O presidente do PSDB previu ainda que o vice de Serra será indicado pelo aliado DEM.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG