PSDB e DEM tentarão barrar mudança na Lei Eleitoral

O temor de um eventual terceiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a possibilidade da derrubada da reeleição com a instituição de um mandato de cinco anos levaram as cúpulas do PSDB e do DEM a decidir hoje tentar barrar no Congresso qualquer matéria que modifique a legislação eleitoral. A decisão foi tomada após uma reunião de mais de duas horas, em São Paulo, com dirigentes dos dois partidos, entre eles o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Agência Estado |

O presidente nacional do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), classificou de "casuísmo" as discussões sobre um terceiro governo seguido de Lula. Sobre a instituição da reeleição no fim da primeira gestão de Fernando Henrique, Maia argumentou: "Ainda estamos testando a reeleição e ela teve sentido lá atrás. Agora, o terceiro mandato não tem sentido, é casuísmo."

Já o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), defendeu um discurso unificado para a oposição. Além das duas legendas não votarem mudanças nas regras eleitorais, Guerra disse que é fundamental a oposição não ficar à reboque da administração federal. "Queremos ter uma ação mais pública e trabalhar com regras de conduta para essas eleições municipais, num debate objetivo", emendou.

Ele reiterou que as siglas não votarão o eventual terceiro mandato ou o fim da reeleição. "Não iremos votar nada disso", afirmou. Guerra e o presidente nacional do DEM desconversaram quando sobre o impasse no cenário eleitoral em São Paulo, onde as duas agremiações devem concorrer com candidaturas próprias, pelo menos no primeiro turno.

Dificuldades

O presidente nacional do PSDB e Maia disseram que, apesar das dificuldades em unir os dois partidos numa única chapa, as conversas continuam. Se não for mesmo viável, tucanos e democratas devem formar um pacto de não-agressão e unir esforços num eventual segundo turno. "Nosso adversário maior é o PT, não podemos nos esquecer disso", disse o presidente nacional democrata.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG