PSDB e DEM decidem insistir em esvaziar CPI Mista

As cúpulas do PSDB e do DEM decidiram hoje insistir nas investigações sobre os cartões corporativos na nova Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) exclusiva do Senado, mesmo constatando que será um desgaste para os dois partidos, uma vez que a base aliada não dará trégua. O líder do DEM na Casa, José Agripino (RN), disse que, na CPI Mista do Congresso, a presidente da comissão, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), que participou da reunião das duas legendas, continuará à frente dos trabalhos, mas a oposição prosseguirá no esvaziamento das sessões, a exemplo do que ocorreu hoje, quando a sessão foi realizada quase que somente com as siglas aliadas.

Agência Estado |

"A Marisa vai atuar com racionalidade e no limite do que achar conveniente", afirmou. O DEM indicou dois representantes para a CPI exclusiva: os senadores Efraim Morais (PB) e Demóstenes Torres (GO). O PSDB ainda não escolheu o representante, que poderá ser o senador Marconi Perillo (GO) ou Álvaro Dias(PR). Para acomodar esses senadores, as duas agremiações terão de fazer um remanejamento nas quatro CPIs do Senado, uma vez que o regimento não permite que um mesmo parlamentar integre duas comissões como titular.

Da parte da base governista, o PMDB indicou os senadores Valdir Raupp (RO) e Gilvan Borges (RR) e o líder Romero Jucá (RR). Raupp havia apresentado um requerimento à mesa com as indicações, mas retirou a pedido da líder do Bloco de Apoio ao governo e do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), que propôs fazer em massa as indicações envolvendo todos os partidos aliados.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG