PSDB defende renúncia de Sarney

BRASÍLIA - A bancada tucana do Senado se reuniu nesta terça-feira e anunciou que a decisão de defender a renúncia do senador José Sarney (PMDB-AP) do cargo de presidente do Senado foi mantida pelos parlamentares da legenda. O partido já entrou com três representações contra o peemedebista, além de ter mais seis denúncias assinadas pelo senador Arthur Virgílio(PSDB-AM).

Camila Campanerut, repórter em Brasília |

Segundo o vice-líder Álvaro Dias (PR), o partido não irá apresentar novas representações contra Sarney no Conselho de Ética do Senado.

Para Dias, não seria ético defender o afastamento de Sarney, já que o sucessor direto seria o senador do próprio partido, Marconi Perillo (GO), que é o primeiro vice-presidente da mesa diretora da Casa.

Enquanto os aliados do presidente esquentam o ataque em plenário e ameaçam entrar com ações e revelar fatos nebulosos do passado dos senadores oposicionistas, a estratégia da oposição está em focar a pressão contra Sarney no Conselho de Ética. O presidente nacional do PSDB Sérgio Guerra (PE) voltou a afirmar que o partido não vai admitir que as representações contra Sarney sejam arquivadas e que entrarão com recurso, se isso ocorrer. 

Ainda não há consenso entre os senadores do PSDB se participarão ou não do boicote às sessões presididas por Sarney, defendida, em especial, por Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE).

Leia também


Leia mais sobre crise no Senado

    Leia tudo sobre: psdbsenadosenadores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG