PSDB critica aliança entre DEM e PT em São Bernardo

O presidente do PSDB paulista, deputado federal Antonio Carlos Mendes Thame, criticou a aliança entre DEM e PT em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, e protestou contra o que chamou de virada de 180 graus de dois vereadores do DEM, partido aliado dos tucanos no plano nacional, na eleição para a presidência da Câmara Municipal da cidade. Os dois vereadores do DEM votaram não com o candidato tucano à presidência da Casa, Admir Ferro, mas com Otávio Manente (PPS), o candidato do prefeito eleito da cidade, o petista Luiz Marinho, o que lhe garantiu uma vitória apertada.

Agência Estado |

"Estamos estupefatos com o fato", afirmou Mendes Thame.

O candidato de Marinho foi eleito presidente da Câmara de São Bernardo por 11 votos a 10. O PSDB esperava que os dois vereadores do DEM se posicionassem a favor de Admir Ferro, apoiado pelo candidato a prefeito derrotado do partido, deputado estadual Orlando Morando. A base de Morando elegeu 12 vereadores e a de Marinho, nove parlamentares, o que, em tese, garantiria a presidência da Casa ao PSDB. "Foram votos decisivos que nos fizeram perder a presidência da Câmara", destacou Mendes Thame.

"Nós lamentamos profundamente, porque é um partido aliado, um partido que compôs conosco nas eleições, que usufruiu do prestígio do Orlando Morando para a eleição deles, foram eleitos fazendo a campanha do Orlando Morando e, com o voto desses dois, nós perdemos a presidência da Câmara", criticou o presidente do PSDB-SP. "É um partido que deveria estar conosco em todos os momentos. Ficamos assustados com o fato de dois vereadores se bandearem dias depois de eleitos. É uma coisa surpreendente."

O novo prefeito de São Bernardo do Campo, o ex-ministro do Trabalho e da Previdência Luiz Marinho, relatou que fez um acordo com o prefeito reeleito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), para a eleição de seu candidato à presidência da Câmara Municipal. Marinho afirmou, na ocasião, que o DEM teria participação em seu governo e nomeou nesta terça-feira Fausto Landi, irmão do vereador Fábio Landi (DEM), para o cargo de subprefeito de Riacho Grande.

Apesar das críticas, o presidente do PSDB paulista não acredita que o episódio possa estremecer a aliança entre PSDB e DEM a nível estadual e nacional. "Não acredito que abale a aliança, não é o caso. Mas é um episódio que nos causou profundo desconforto", apontou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG