O PSDB cobrou do governo nesta segunda-feira iniciativas que defendam o País da crise financeira mundial. Segundo o presidente da legenda, senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), ¿não dá para acreditar no governo se não apertar os cintos¿.

O talento do presidente Lula para se esquivar de responsabilidades é conhecido, mas o País depende agora de duas habilidades que o seu governo ainda não mostrou: firmeza e competência para tomar decisões difíceis e capacidade de negociação transparente baseada no interesse nacional, criticou Sérgio Guerra, em nota divulgada hoje à imprensa.

O partido observa que, enquanto a equipe econômica do governo insiste em dizer que precisa apenas monitorar os efeitos das dificuldades mundiais, a economia real já sofreu perdas com operações em dólar futuro de grandes empresas, remarcações de preços de produtos da cesta básica e a alta nos juros do crédito de imobiliário.  

Orçamento

Na mesma nota divulgada pelo PSDB, o ex-ministro da Fazenda Pedro Malan reforça a necessidade de revisão do Orçamento de 2009 e as metas fiscais para o próximo triênio como formas de reforçar a defesa do País contra a crise.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso endossa a idéia de cortes no orçamento, mas defende a manutenção dos programas sociais. Numa situação de crise é importante preservar os mais pobres, disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.