PSB deve decidir por rejeitar candidatura Ciro Gomes

Por Fernando Exman BRASÍLIA (Reuters) - Reunião da cúpula do PSB com Ciro Gomes (CE) nesta quinta-feira discutiu as dificuldades de uma candidatura presidencial do partido. Após o encontro, fontes da legenda disseram acreditar que o PSB decidirá pela retirada da pré-candidatura do deputado, que acatará a posição.

Reuters |

Ciro esteve reunido nesta manhã com o presidente do PSB, Eduardo Campos, governador de Pernambuco, e com Roberto Amaral, vice-presidente e ex-ministro. Foram duas horas de conversa.

"Isso está bem indicado. Essa é a tendência. O partido é que pode decidir. Ele (Ciro) não vai renunciar, mas vai acatar a decisão do partido", disse à Reuters um parlamentar da sigla.

No final do dia, Ciro enviou nota à imprensa afirmando que se o partido decidir por não apresentar candidatura própria "que assuma o ônus da decisão, que ele respeitará como filiado".

A cúpula relatou a Ciro as dificuldades de candidaturas nos Estados e quanto ao isolamento da legenda.

Está acertado que a decisão sairá na próxima terça-feira na reunião da executiva nacional do partido em que os diretórios estaduais também vão opinar. Os diretórios vão remeter ao partido um ofício com sua posição, para que não restem dúvidas sobre a decisão da legenda.

Sem confirmar a disposição do partido em rejeitar a candidatura de Ciro, Eduardo Campos disse que há "um debate intenso dentro do partido" e mencionou forças que já caminham nesta direção.

"O Ciro mantém o desejo de representar o PSB e outras forças que venham a apoiá-lo como candidato a presidente da República. Nós temos Estados que vão nesta mesma linha e Estados que têm posição divergente", disse Campos a jornalistas após reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

De seu lado, Roberto Amaral mencionou a questão central que pesa na decisão. Ele disse à Reuters que o partido faz parte da base do governo Lula. "E tem compromisso com a continuidade desse projeto. Vamos decidir entre Ciro e Dilma (Rousseff, pré-candidata do PT)".

Amaral, que também confirmou o anúncio da decisão para dia 27, relatou ainda que, na conversa, foi dito a Ciro que ele poderá ter papel importante nas articulações de candidaturas nos Estados. O PSB pretende disputar em dez Estados, em alguns com o apoio do PT, e dobrar a bancada de deputados federais.

Ciro forçou o debate depois de divulgar artigo, mal-recebido por parcela do PSB, em que perguntava "o que quer de mim o meu partido?".

(Com reportagem adicional de Carmen Munari e de Maria Carolina Marcello)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG