PSB articula para abortar pré-candidatura de Ciro

A cúpula do PSB iniciou articulação com o Palácio do Planalto para abortar a pré-candidatura à Presidência da República do deputado Ciro Gomes (CE). A ideia é promover um encontro entre ele e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para minimizar danos e, dessa forma, garantir o apoio do deputado à candidatura da petista Dilma Rousseff.

Agência Estado |

O Planalto teme que, uma vez rifado pelo próprio partido com o patrocínio do governo, Ciro saia atirando. "O apoio do Ciro para a Dilma é muito importante", resumiu ontem o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP).

Coube ao presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, a missão de encontrar a saída menos traumática para sacramentar a desistência de Ciro da disputa presidencial. Campos, que estava ontem à noite em Brasília para participar de jantar com o presidente Lula em comemoração aos 50 anos da cidade, pretendia conversar com um grupo de socialistas sobre o futuro da candidatura de Ciro.

Ciro passou o dia de ontem em Brasília, mas não apareceu na Câmara nem procurou seus colegas de bancada. Na noite anterior, o deputado jantou com a família em um restaurante badalado da capital federal. A Executiva do PSB se reúne na terça-feira para bater o martelo sobre futuro da candidatura de Ciro. Uma das hipóteses é que o partido apoie informalmente a candidatura de Dilma, a exemplo do que ocorreu em 2006. Sem a aliança formal, o PT não teria o tempo de TV do PSB. Em troca da desistência de Ciro, o PSB espera ganhar contrapartidas nos Estados. Os socialistas querem que, em alguns locais, o PT apoie seus candidatos ao governo do Estado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG