Protógenes tem que voltar à CPI para esclarecer reunião, diz Jungmann

BRASÍLIA - O deputado Raul Jungmann (PPS-PE) disse nesta terça-feira que o delegado Protógenes Queiroz, antigo responsável pela Satiagraha, tem de retornar à CPI dos Grampos para esclarecer trechos da reunião da cúpula da Polícia Federal que selou seu afastamento da operação, em julho.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

"A maior preocupação é a escuta no Supremo, como o delegado podia saber que existia uma habeas corpus (HC) no Supremo?", disse Jungmann.

Ele se referiu a um trecho da reunião em que Protógenes disse possuir, através de trabalhos de inteligência, a informação de que existia "um HC já preparado" e "outro HC, que estava sendo gestado no gabinete no Supremo Tribunal Federal".

Jungmann afirmou que vai entregar o audio da reunião oficialmente à CPI e pedir que o presidente da Comissão, Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), agende um novo depoimento para Protógenes uma vez que, segundo ele, já existe um requerimento aprovado para a ida do delgado à CPI.

Auxílio da Abin

O presidente da CPI, Itagiba, disse que a gravação da reunião da cúpula da PF não confirma se Protógenes teve ou não de apelar para agentes da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) por uma suposta falta de apoio da Polícia Federal. Em sua opinião, esse é mais um dos pontos que precisam ser esclarecidos.

Já o deputado Gustavo Fruet (PSDB-SP) questionou o conteúdo da gravação. Para ele, como os interlocutores sabiam que o áudio estava sendo registrado, "cada um pode seguir um roteiro na conversa".

Leia mais sobre: Operação Satiagraha

    Leia tudo sobre: satiagraha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG