O delegado Protógenes Queiroz, mentor da Satiagraha, está fora dos quadros da Diretoria de Inteligência da Polícia Federal. Em 15 dias ele deve apresentar-se à Diretoria-Geral de Pessoal da Polícia Federal para tomar ciência de seu novo local de trabalho na corporação.

Sua saída da Inteligência, onde atuava havia mais de 5 anos, lhe foi informada ontem de manhã, durante reunião com o delegado Daniel Lorenz, diretor da área.

Protógenes está praticamente isolado na PF desde que, no auge da Satiagraha, acusou superiores de boicotarem a investigação. Lorenz era seu chefe. No início de março, Lorenz chamou Protógenes e o proibiu de usar “qualquer pessoa” da Agência Brasileira de Inteligência na operação. Inquérito da PF sobre vazamento da Satiagraha revela que Protógenes recrutou 84 agentes da Abin. Ele deverá ser indiciado por quebra de sigilo funcional e violação à Lei do Grampo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.