BRASÍLIA - O delegado Protógenes Queiroz negou nesta quarta-feira, em depoimento à CPI dos Grampos, ter informado à imprensa sobre a Operação Satiagraha no período em que a investigação estava sob sigilo da Justiça.

Protógenes foi indiciado pela corregedoria da Polícia Federal por compartilhar informações sigilosas com a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e também por vazamento de informação à imprensa.

Ele é acusado de informar a repórteres da TV Globo sobre a prisão que seria decretada contra o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta. As imagens de Pitta sendo algemado, na porta de sua casa, ainda de pijamas, foram exibidas em rede nacional.

Protógenes contou aos deputados ter questionado ao delegado Amaro Vieira, responsável pelo inquérito que apurou supostos vazamentos na Satiagraha, quais dados comprovariam seu indiciamento.

Disse pro Amaro: me aponte dentro da investigação o dado que te permite dizer que eu violei [sigilo]? Qual dado aponta que eu autorizei aquele jornalista a estar na frente da casa [de Celso Pitta]?, teria dito Protógenes ao delegado Amaro Vieira, conforme contou à CPI.

Leia também:

Leia mais sobre: CPI dos Grampos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.